A crise global do Covid-19 estimula projectos de moeda digital

A crise do Covid-19 levou 30% dos bancos centrais a acelerar os seus projectos de moeda digital, segundo o terceiro inquérito do Banco de Pagamentos Internacionais (BIS) a 65 países no quarto trimestre de 2020. A crise sanitária tem aumentado o interesse em ter uma moeda 100% electrónica que satisfaça os requisitos de afastamento físico e que responda aos receios de contaminação se forem utilizadas notas e moedas. Uma moeda digital do banco central também facilitaria e aceleraria o pagamento da ajuda em tempos de crise económica. A conta do indivíduo seria creditada directamente pelo banco central. Em termos mais gerais, este movimento faz parte de um declínio no dinheiro como meio de pagamento, mas não como uma poupança preventiva prontamente disponível. E 60% dos países acreditam que a crise sanitária não alterou o ritmo do seu trabalho sobre o assunto.

Nove em cada dez bancos centrais estão a considerar os prós e os contras da emissão da sua moeda digital, quer esta se destine exclusivamente a instituições financeiras ou a cidadãos e empresas. Mas eles ainda estão longe de estar prontos para dar o mergulho. Apenas 14% estão na fase de projectos-piloto e de teste. Os países emergentes estão mais motivados que os países desenvolvidos para lançar uma versão electrónica da sua moeda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *