Artigo (Português)

A noção de resistência do consumidor surgiu gradualmente na literatura de marketing para constituir um fluxo de investigação significativo (Hirschman, 1970; Peñaloza, Price, 1993; Roux, 2009). Ao mesmo tempo, a tecnologia digital tornou-se uma realidade importante com a qual os consumidores são confrontados no seu comportamento e utilizações. Como fonte de informação, mas também como espaço de expressão, a tecnologia digital constitui um novo e evolutivo campo de acção para o consumidor, um novo território de expressão, práticas e utilizações. A investigação de que este artigo provém encontra-se, portanto, na encruzilhada de duas correntes de investigação de diferentes disciplinas: a corrente do marketing sobre a resistência dos consumidores às acções e dispositivos de marketing; a corrente das ciências da informação e da comunicação sobre os conceitos de territórios e territórios digitais. Tende a explorar a noção de território de resistência dos consumidores a acções e dispositivos de marketing. Estuda uma pluralidade de comportamentos considerados resistentes na literatura, pedindo aos consumidores que categorizem cada um dos comportamentos examinados, a fim de realçar o território temático de resistência. Outro objectivo é explorar a dimensão digital do território de resistência, do ponto de vista do âmbito de acção coberto, mas também do ponto de vista das mudanças trazidas pelo digital sobre as acções de resistência e os actores da resistência…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *