CATÁLOGO DE DOCUMENTAÇÃO DE NADJA SOBRE DEPENDÊNCIAS

O conceito de crise é reexaminado numa tentativa de especificar as características deste estado sistémico particular – um estado que, em certas ocasiões, leva o sistema a uma abertura sobre o interveniente. Para tal, traça-se um paralelo entre a crise, o acidente que afecta o sistema humano, e a avaria, o acidente que afecta o sistema mecânico. Esta comparação leva a uma recordação de certas propriedades específicas dos sistemas humanos: encerramento funcional, auto-posição, mas também, e sobretudo, a modelação necessária das suas próprias estruturas que integra os dois níveis distintos de pertença destes sistemas – pertencentes ao mundo biológico – pertencentes ao mundo simbólico. Distinguem-se dois tipos essenciais de crise nos sistemas humanos – crise auto-referencial e crise heteroreferencial – de acordo com o lugar do referente que introduz uma dúvida sobre o modelo. Finalmente, são tiradas algumas conclusões quanto ao significado do pedido de ajuda e quanto à função lógica do interveniente.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *