Cécile Corbel : ” É tão bom estar de volta ao palco”

Cécile Corbel, feliz por estar de volta aos seus músicos e ao palco dos Jardins de l’Evêché, em Quimper, após vários meses de ausência.(Foto Jean-Michel Malgorn)

Numa voz suave, após algumas cordas, Cécile Corbel convida os seus ouvintes para uma viagem “nas asas do vento”. “Poderíamos”, diz ela, “descer o curso do poço Odet instalado em três barcos empurrados pelo vento”

A viagem sem movimento começa, conduzida por esta voz calorosamente colorida que a harpa, as percussões, o violino, os teclados acompanham de forma tão bela.

Cécile Corbel:
(Le Télégramme / Jean-Michel Malgorn)

Irlanda e os seus Ciganos, “aqueles que enfeitiçam”, energizam o público, que bate palmas e pés ao ritmo desta canção quase tradicional. Depois o artista dirige-se às crianças e a todos aqueles que guardaram, algures dentro delas, um cantinho de inocência. A sua canção é sobre as crianças nascidas em alguns conventos irlandeses de má reputação, adoptados por americanos. Um momento de intensa emoção, a audiência cala-se para ouvir a letra e a música que evoca “The Turning Wind”.

Cécile Corbel:
(Le Télégramme / Jean-Michel Malgorn)
br>>h2>Legends from Brittany and Japan

p>From Quebec, Cécile Corbel traz de volta canções que ela adora e opta por executar uma tradicional. A harpa bate as suas notas e alguns dos espectadores aceitam gentilmente “Le Chant de l’alouette”. A audiência foi claramente conquistada e aplaudida calorosamente. E depois vem o tempo das lendas. As canções falam de seres invisíveis, tanto na Bretanha como no Japão. Estas criaturas estão por toda a parte, em poças, nos telhados, tal como estes ladrões japoneses. É nesta língua que ela interpreta canções com o ar de poemas que suportam percussões, violino, ou teclado.

Cécile Corbel:
(Le Télégramme / Jean-Michel Malgorn)
p>Um momento ela convida, maliciosamente, para o “Baile dos Ratos e Canções” e depois de apresentar os seus músicos, oferece ao seu público o primeiro de uma canção. De pé, a sala dá-lhe uma ovação de pé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *