Ciclopédia: Sexologia e Casais

encontro

Reunir-se é um momento embaraçoso para homens e mulheres, um contacto real entre duas pessoas que mal se conhecem, excepto através das suas centrais telefónicas ou da Internet.

br>Como se comportar durante uma data
A data é um acontecimento recente na nossa sociedade. Não há regras definidas. No entanto, as pequenas coisas podem contar neste início de uma relação interpessoal, os detalhes são importantes. Aqui estão algumas regras de senso comum de etiqueta, a serem seguidas, enquanto datar.
Cortesia
Esta não é uma regra específica da datação, mas uma obrigação de toda a comunicação humana interpessoal. Cortesia não é lisonjear o ego do outro, é uma distância social que permite que cada pessoa se expresse livremente e sem constrangimentos. Esta distância requer uma linguagem que evite a familiaridade ou a proximidade excessiva no início da reunião, que evite o confronto pessoal em direcção a uma discussão. A cortesia exige ouvir o outro, sem ironia, sem pressa, respeitando a dificuldade de comunicação, encorajando a pessoa oposta a expressar-se num ambiente de respeito e carinho.

Chegar a tempo
Este é um acto de cortesia e respeito. Chegar a horas à marcação evita ter de pedir desculpa, explicar porque está atrasado. Nalguns casos, a marcação da reunião requer estágios, ou por vezes fazer viagens curtas. É importante saber como organizar a sua viagem para chegar a tempo. Esquecendo o famoso atraso feminino, muitos homens ou mulheres podem considerar o atraso como um sinal de indiferença ou como um sinal de desrespeito. Como regra geral, os homens chegam alguns minutos antes das mulheres ao local da reunião.
Se tiver de se atrasar, é importante deixar a pessoa à sua espera saber que está atrasada. Não vale a pena chegar tarde e sobrecarregar a pessoa à sua frente com detalhes sobre a sua vida ou obrigações.

A cavalaria não está morta, mas…
A nossa cultura europeia forjou ao longo dos séculos um comportamento codificado e respeitoso para com as mulheres na esfera social. Um homem levanta-se quando uma mulher chega, um homem deixa uma mulher passar diante dele, abre a porta para facilitar a passagem de uma mulher, não grita na presença de uma mulher, evita palavras grosseiras e dolorosas, não pede a uma mulher informações pessoais como a sua idade, não comenta a sua aparência física, evita olhares insistentes e embaraçosos para o seu corpo ou roupa. A mudança do estatuto das mulheres na nossa sociedade alterou profundamente o lugar das mulheres na sociedade. O cavalheirismo torna-se para algumas mulheres uma espécie de folclore inútil, mas continua a ser apreciado por outras mulheres. Contudo, deixar uma mulher passar, abrir a porta a uma mulher, ajustar a cadeira quando ela se senta, não são comportamentos ridículos. Pelo contrário, estes comportamentos ainda são apreciados.

br> Por outro lado, o papel tradicional masculino mudou, uma mulher já não precisa de ser protegida na sociedade, nem precisa de ser rodeada por um homem. Por outras palavras, pede-se aos homens que aceitem a parte de respeito e cortesia do cavalheirismo, deixando o resto para trás. Gestos galantes no nosso tempo são poupados, simbólicos, permitindo à mulher comportar-se num sistema de códigos sociais que ela dominou perfeitamente.
Complementos com parcimónia
/p>

Reunião é um contacto social, que pode terminar em intimidade física para se transformar numa relação, ou terminar de repente. Os elogios são uma passagem da esfera social para a esfera privada. Quando um homem quer dizer a uma mulher que ela é bela, está a dizer que olhou para ela e apreciou a sua beleza. Esta é a diferença entre um encontro com o seu banqueiro, e um encontro com uma rapariga, neste último caso é importante tornar o contacto pessoal. Dizer algumas palavras bonitas sobre o seu cabelo, maquilhagem, ou perfume é sinónimo do interesse de um homem por uma mulher, especialmente porque as mulheres gastam muito dinheiro e tempo na sua beleza, e na sua aparência física. Da mesma forma, uma palavra elogiosa sobre a aparência física de um homem pode ser apreciada. É possível brincar com as palavras para evitar o estilo directo.
Complacentes com parcimónia, e sem intrusão na esfera pessoal ou íntima, de preferência elogios sinceros.

O não dito também conta
A coisa mais importante numa reunião, como em qualquer comunicação humana, é a capacidade de ouvir e a capacidade de falar.
Ouvir sem reagir, ou com reacções medidas, acompanhado de cortesia, benevolência e neutralidade permite que o outro fale sem ser intimidado. Evitar comentários inapropriados, cínicos e dolorosos. Ouvir também significa fazer perguntas, para mostrar o seu interesse, sem entrar no íntimo ou pessoal.

br>falar de si mesmo é um exercício difícil. No entanto, é possível através de temas neutros e simples como uma novela ou um programa de televisão expressar o próprio gosto pessoal, o próprio ponto de vista sobre um facto social, e também as próprias expectativas no casal e nas relações.
Na verdade, os primeiros encontros avaliam essencialmente o aspecto físico, a capacidade de comunicação do outro, a sua personalidade, e o seu comportamento na sociedade. A revelação do íntimo, do pessoal não é a regra na primeira reunião. Uma pessoa não fala dos seus créditos, da sua doença, ou das suas memórias de infância durante uma reunião, uma revela o que permite à outra julgar o interesse da relação, e decidir continuar ou parar. O não dito é a regra nos primeiros encontros.

br>Moeda é importante
a mudança de estatuto das mulheres obriga os homens a comportarem-se de forma diferente dos seus pais. Os nossos códigos sociais eram utilizados para convidar homens a pagar a refeição, ou o convite. Era função do homem pagar, pegar na conta do restaurante, porque ele é o homem (papel social).
Currentemente, insistir que um homem pague o convite ou a refeição, pode ser interpretado como um sinal de dominação ou sexismo por parte de algumas mulheres. Como regra geral, os homens ainda se oferecem para pagar, pelo menos, o primeiro convite, mas estão cada vez mais abertos a serem convidados pela mulher. O principal é levar as coisas com humor e retrospectiva, não entrar em discussões intermináveis sobre quem paga, e quem não o faz especialmente quando é um café, ou um sumo!!!!

br>Para o segundo encontro, normalmente as coisas organizam-se, por vezes os homens continuam a desempenhar o papel social convidando, por vezes a mulher convida a segunda vez. Em alguns casos ambos os parceiros dividem a conta, ou partilham as despesas da noite, um parceiro pode pagar o restaurante, o outro pagará os bilhetes de cinema, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *