ciência do computador para o ambiente

Alexandre, 21, participou na Taça Imagine 2008. As inscrições para a taça Imagine 2009, a taça do mundo digital, já começaram (ver a nossa secção de concursos). Alexandre e a sua equipa, The Shads, participaram nas finais da edição de 2008 que teve lugar em Paris. No seu primeiro ano na EPITA, uma escola de engenharia informática, Alexandre pôde conhecer jovens de todo o mundo que vieram, como ele, apresentar o seu projecto de inovação digital, cujo tema este ano foi a protecção ambiental. Ele apresenta o projecto da sua equipa, o carro ecológico, que lhes permitiu terminar em 7º lugar.
Como surgiu o seu projecto de carro ecológico?
A ideia surgiu-me um dia quando estava a comer o meu lanche! Fiquei horrorizado com a montanha de embalagens que se acumulava para biscoitos simples. No entanto, apenas 30% destes resíduos são reciclados. Para remediar esta situação, quisemos agir sobre o próprio acto de compra. O objectivo é sensibilizar os consumidores para este problema, de modo a que estes comprem bens de consumo que poluam menos a atmosfera. As grandes marcas serão então obrigadas a fazer esforços nesta direcção. Para o fazer, o cliente deve estar bem informado. Devem, portanto, ter acesso a informações práticas quando fazem compras em supermercados. O que significa em termos concretos? O cliente do supermercado só teria de passar o produto em frente do ecrã táctil ligado ao carrinho para descobrir o seu impacto ambiental. Mas sabemos que, ao comprar, o consumidor já deve verificar a data de validade, examinar as ofertas de desconto… Não têm tempo ou inclinação para ter em conta outros factores. Assim desenvolvemos uma interface divertida, lúdica e muito simples: quando digitaliza o artigo, aparece um personagem digital e dependendo do seu estado de espírito, se sorrir ou fizer um rosto, pode adivinhar que consequências o produto tem no ambiente.
Que indicador utilizou para legitimar o projecto?
O nosso problema foi encontrar informação fiável: utilizámos o rótulo ecológico mencionado durante o Grenelle de l’environnement no ano passado e que deverá estar generalizado até 2011. Este rótulo permite referir para cada produto a sua produção de carbono, a distância percorrida para o transporte e a sua taxa de reciclagem. Por exemplo, para um simples pacote de filetes de bacalhau, foram necessárias 37 gramas de CO2 para fabricar a embalagem, 3.000 quilómetros para a transportar e será reciclada a uma taxa de 40%.
Como é que a participação na Taça Imagine reforçou o seu projecto?
Encontrámos muito apoio na Taça Imagine. A competição, que foi mundial, foi muito intensa. Para a nossa primeira participação, sentimos que fizemos bons progressos. Mas a nossa vitória seria ver o nosso carrinho utilizado nos supermercados. O carrinho informatizado é um conceito que se está a desenvolver mas nunca com o aspecto ecológico como propomos. Estamos a começar a abordar empresas do sector dos supermercados porque estamos convencidos de que a nossa ideia tem futuro.
Por Mathieu Robert

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *