Daniel Lanois (Português)

Daniel Lanois começou a sua carreira como produtor no seu próprio estúdio nos Grant Avenue Studios em Hamilton, trabalhando com bandas locais incluindo Martha e os Muffins para quem a sua irmã Jocelyne tocava baixo.

Depois de ter sido descoberto por Brian Eno e de ter colaborado em alguns dos projectos de Eno, nomeadamente Apollo – Atmospheres & Soundtracks em 1983, The Pearl em 1984 e Hybrid em 1985, a sua carreira recebeu um novo impulso quando Eno o convidou para co-produzir The Unforgettable Fire U2’s em 1984. Trabalhou em muitos dos seus álbuns subsequentes, Wide Awake in America com Tony Visconti, The Joshua Tree, Achtung Baby, a banda sonora do filme The Million Dollar Hotel, bem como All That You Can’t Can’t Leave Behind, How to Dismantle an Atomic Bomb e No Line on the Horizon.

Em 1989, Bono dos U2 recomendou Daniel Lanois a Bob Dylan, que depois produziu Oh Mercy, frequentemente considerado um dos melhores álbuns de Dylan da época. Oito anos depois, os dois homens trabalharam novamente juntos em Time Out of Mind (outro regresso às suas raízes para Dylan após Under the Red Sky (1990) e o díptico Good as I Been to You-World Gone Wrong), uma colaboração que lhe valeu um Prémio Grammy para Melhor Álbum em 1997.

Além de ser produtor, Daniel Lanois toca a sua própria música, em guitarra, aço a pedal, e dobro, e canta e escreve as suas próprias canções. Também é hábil no baixo e no Omnichord, um instrumento electrónico que é uma contraparte electrónica do autoharp. Esta gama de talentos é utilizada em muitos dos álbuns que produz, resultando no som de assinatura que lhe é creditado. É mais conhecido pela sua canção Jolie Louise, que canta em francês e inglês, lançada em 1989 e que faz parte do seu primeiro álbum Acadie, no qual encontramos, entre outros músicos, o baixista e baterista dos U2, Adam Clayton e Larry Mullen Jr, Aaron Neville, Malcolm Burn, Bill Dillon, etc. Este álbum foi relançado em 2008 com seis faixas adicionais e um livreto.

A faixa Jolie Louise foi coberta por Isabelle Boulay no álbum Les Grands Espaces, bem como pelo trio Maxime Le Forestier, Francis Cabrel e Alain Souchon em 1997 no álbum da associação Sol En Si (Solidarité enfants Sida) sob o selo WEA Records (França). Em Junho de 2010, enquanto conduzia a sua moto para o Teatro Henry Fonda em Hollywood, Lanois esteve envolvido num acidente que o deixou gravemente ferido, quebrando a clavícula e a pélvis e partindo seis costelas. Passou três semanas em cuidados intensivos num hospital da Califórnia, e foi monitorizado por enfermeiras dia e noite no seu regresso a casa. Depois teve uma longa convalescença, depois voltou ao trabalho e produziu o álbum The Noise de Neil Young. Também em 2010, criou o projecto Black Dub com a cantora Trixie Whitley, o baixista Daryl Johnson e Brian Blade na bateria, enquanto o próprio Daniel Lanois alterna na guitarra e no piano, dependendo da canção. O álbum, que variava em estilo desde o dub ao blues e do soul ao rock, foi lançado no mesmo ano. Em 2014, o álbum Flesh and machine é baseado nos álbuns da série Ambient de Brian Eno, ele está sozinho em aço a pedal à parte do baterista Brian Blade e é inteiramente instrumental.

Daniel lançou um novo álbum em 2016, Goodbye to Language feito em aço a pedal com Rocco Deluca, inteiramente instrumental, daí o título.

Em Maio de 2018 lançou um álbum em colaboração com o produtor de breakcore Venetian Snares na editora Timesig.

Ele também participou nesse mesmo ano na banda sonora do videogame Red Dead Redemption 2, para o qual produziu as partes vocais em colaboração com outros artistas como Woody Jackson ou mesmo David Ferguson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *