Darcy Weisbach (Português)

br>darcy_weisbach_e_1A equação de Darcy-Weisbach é uma abordagem empírica para o cálculo das perdas de pressão em canais abertos rectos e tubagem. A abordagem analítica com um sistema de equações diferenciais fornecido pela equação só pode ser integrada para alguns casos particulares. Os pacotes de software especializados fornecem soluções iterativas. Na vida quotidiana dos engenheiros, a equação de Darcy-Weisbach estabeleceu-se devido à facilidade de manuseamento. A tabela 1 mostra equações de autores importantes da primeira metade do século XIX relativas à perda de pressão em tubagens rectas. As equações empíricas foram derivadas de experiências com fluxo turbulento de água em tubos de ferro e ferro fundido.darcy_weisbach_tableTable 1 anotou a equação (1) tal como a conhecemos hoje. Os Factores de Atrito de Darcy f na Tabela 1 tornam-se sem dimensão pelas dimensões das suas constantes. A abordagem de Eytelwein apresenta um Factor de Fricção Darcy constante. Weisbach, Prony e Aubuisson mostram que o Factor de Atrito de Dracy f desce de valor com velocidade crescente. Darcy assinala que o Factor de Atrito f cai de valor com os diâmetros a subir. Ambas as observações são verdadeiras. Os valores absolutos do Factor de Fricção de Darcy fornecidos pelas equações da Tabela 1 correspondem à gama de Factores de Fricção mostrados no diagrama Moody. Nas suas equações Colebrook utilizou valores sem dimensão para descrever o Factor de Atrito de Darcy f (roughness/diâmetro e número Reynolds). Moody 100-10^8 Diagrama Moody O trabalho de Navier, Stokes, Hagen, Poiseuille, Reynolds, Karman, Prandtl e Colebrook – para citar o mais famoso – levou à formulação do Factor de Fricção de Dracy tal como o conhecemos hoje (diagrama por Moody). Compreende regimes de fluxo de laminar a completamente perturbador para todos os fluidos Newtonianos.
p>Littérature
>/p>>br>>p> J.A. Eytelwein, Handbuch der Mechanik fester Körper und der Hydraulik, Berlin bei F.L. Lagarde, 1801

p> R. Prony, Recherches Physico-Mathématiques sur la théorie des eaux courantes, Paris, de L’imprimerie Impériale, 1804

br>

M. Navier, Mémoire de l’ Académie des Sciences, Tome 6, 1823, 389 ff

>br>>p> J.F.Aubuisson de Voisins, Traité D’Hydraulique,Paris, Chez F.G. Levrault, 1834

br>>p> J. Weisbach, Lehrbuch der Ingenieur- und Maschinenmechanik,Erster Teil Theoretische Mechanik, 2. Auflage, Braunschweig F. Vieweg und Sohn, 1850

br>

Darcy Mémoire a l’Académie des Sciences, Tome 15, 1858, 141 ff

br>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *