definição – Iogurte reporta um problema

Página de ajuda sobre redireccionamentos'aide sur les redirections Para o gestor de pacotes da distribuição Arch Linux, ver Yaourt (Arch Linux).

Icone de paronímia

Este artigo tem um parónimo, ver: yurt.

Este artigo não cita suficientemente as suas fontes.
Se tiver algum livro ou artigo de referência ou conhecer algum bom sítio web que trate do tema aqui discutido, por favor complete o artigo dando referências úteis para a sua verificabilidade e ligando-os à secção “Notas e Referências”. (Editar artigo)

iogurte exposto na Exposição Internacional Especializada de 2005 realizada no Japão.

Yogurt, iogurte ou iogurte é uma preparação de leite de vaca, cabra, ovelha, égua, burro, camelo ou búfalo não fermentado e fermentado.

Yogurt é supostamente originário da Ásia Central, especificamente da região que é agora a Turquia. Teria chegado à Europa através da Turquia e dos Balcãs. A origem da palavra “iogurte” encontra-se na realidade na palavra turca “yoğurmak”, que significa “amassar” ou “engrossar”.

br>

Sumário

  • 1 História
  • 2 Em todo o mundo
  • 3 Fabrico
  • 4 Consumo
  • 5 Propriedades biológicas
    • 5.1 Valor nutritivo
    • 5.2 Benefícios para a saúde
    • 5.3 Digestibilidade do leite
    • 5.4 Cura de diarreia
    • 5.5 Diminuição do risco de cancro
    • 5.6 Níveis de colesterol no sangue
    • /li>

  • 6 Significado figurativo
  • 7 Fontes
  • 8 Notas e referências
  • 9 Ver também
    • 9.1 Artigos relacionados
    • 9.2 Links externos

h2> História

Os primeiros escritos relacionados com o iogurte são atribuídos a Plínio o Ancião, que notou que algumas tribos sabiam como “espessar o leite num material agradavelmente ácido”. As antigas técnicas utilizadas nesta região consistiam em fermentar o leite, movendo-o para trás e para a frente num “saco” de pele de ovelha ou de cabra. Existem provas de produtos lácteos fermentados para fins alimentares desde, pelo menos, o 3º milénio a.C. Os primeiros iogurtes resultaram provavelmente da fermentação espontânea, talvez do contacto com bactérias selvagens residentes dentro dos sacos de pele de cabra utilizados para transportar o leite.

Yogurt apareceu pela primeira vez em França graças a Francis I, que sofria de problemas digestivos e que se dizia ter sido curado de doenças intestinais por um iogurte à base de leite de ovelha preparado por um médico turco. No final do século XIX, o bacteriólogo russo Elie Metchnikoff, que recebeu o Prémio Nobel da Fisiologia ou Medicina em 1908, interrogou-se sobre a ligação entre o iogurte e a longevidade dos povos da montanha na Bulgária. Descobriu os efeitos positivos do iogurte nos distúrbios intestinais dos bebés. O Stamen Grigorov búlgaro, por seu lado, descobriu em 1905 a bactéria Lactobacillus bulgaricus que dá ao iogurte a sua acidez. Embora tenha sido em Paris em 1912 que um industrial de nome Aram Deukmedjian introduziu a produção de iogurte, foi em Barcelona que se espalhou mais rapidamente a partir de 1919. A família Carasso abriu uma oficina de fabrico utilizando fermentos do Instituto Pasteur. Os iogurtes resultantes foram vendidos em farmácias em frascos de porcelana. Chamavam-se Danone, depois de Danon, o diminutivo afectuoso dado por Isaac Carasso ao seu filho Daniel. Em 1929, Daniel fundou a Société Parisienne du Yoghourt Danone em Paris. Montou ali a sua primeira loja e lançou o primeiro iogurte de fruta em 1937. Na década de 1950, os iogurtes aromatizados eram vendidos em copos de cartão. Em 1963, foi a vez do iogurte mexido ao qual foi acrescentada fruta no ano seguinte.

A marca Danone também fez um avanço nos Estados Unidos sob o nome Dannon. O fabrico de iogurte é também ali tomado pela empresa General Mills.

Em todo o mundo

No Ocidente, o iogurte é normalmente consumido adoçado, ao pequeno-almoço ou como sobremesa. O iogurte não deve ser confundido com “Smantana”, que é um creme espesso utilizado na Grécia e Europa de Leste, nem com “Dour” persa ou o seu homónimo turco, “Ayran”, que são bebidas de iogurte e água salgada, normalmente realçadas com especiarias e folhas secas de menta. O iogurte é também utilizado em todos os países do Golfo Pérsico, bem como na Turquia e Grécia, como molho, cortado com água, sal e especiarias, consumido durante as refeições ou como componente de pratos. A forma mais conhecida é o molho grego “tzatziki”, ou o prato persa em molho que mistura iogurte e pepinos, o iraniano “mast-o-khiar”.

Na China, foi introduzido no início dos anos 90 pela Danone.

Produção

fabricante de iogurtes da marca SEB para fazer iogurtes em casa

Actualmente, no Ocidente, o fabrico de iogurtes é relativamente simples. Pode ser feito de forma artesanal, em casa ou de forma industrial.

Yogurt é feito de leite (inteiro, semi-desnatado ou desnatado), geralmente de vacas mas também de outros mamíferos: ovelhas, cabras, etc.; Este leite é pasteurizado, e muitas vezes enriquecido com leite em pó. Este leite é pasteurizado e muitas vezes enriquecido com leite em pó, de modo a que o iogurte tenha um teor de proteínas e cálcio superior ao do leite normal. Depois, são adicionadas duas bactérias para fermentação:

  • Streptococcus thermophilus (43 °C)
  • Lactobacillus bulgaricus

Leite de soja não contém lactose para alimentar bactérias, pelo que não se pode tornar iogurte no sentido estrito da palavra, independentemente da fermentação e obtemos, num iogurte, um resultado próximo do do iogurte comum.

Preparações lácteas feitas segundo o mesmo princípio mas sem Lactobacillus bulgaricus ou com outras bactérias (bifidus…) não têm o direito de ser chamadas “iogurtes” em França e na União Europeia.

Os iogurtes podem ser mexidos, aromatizados, adoçados, misturados com frutas diferentes…

A maioria dos iogurtes são de cor branca, com excepção do iogurte feito artesanalmente na aldeia de Orban a partir de leite de búfala: este último tem uma coloração rosada natural.

Consumo

Com mais de 21 quilos de iogurte por pessoa em 2005, os franceses, que aumentaram o seu consumo em 20% em dez anos, são os segundos maiores consumidores na Europa, atrás dos alemães. O Programa Nacional de Nutrição e Saúde lançado em 2001 pelo governo francês recomenda o consumo de três produtos lácteos por dia.

Propriedades biológicas

Valor nutricional

Além de ser apreciado pelo seu sabor e textura, o iogurte tem um valor nutricional notável: uma ingestão relativamente baixa de energia (em média 90 kcal para um pote de 125 g de iogurte simples clássico), enquanto que a ingestão de proteínas, cálcio, fósforo e riboflavina representa mais de 25% das necessidades diárias.

Benefícios para a saúde

A presença de 100 a 1,050 milhões de bactérias vivas por mililitro de iogurte teria um impacto positivo na saúde humana. Os numerosos estudos de investigação realizados, alguns por produtores de iogurte, outros por agências de saúde, trazem resultados contraditórios sobre este assunto.

Por outro lado, o conteúdo de cálcio que é frequentemente apresentado como um factor positivo não tem valor protector cientificamente comprovado contra a osteoporose. O elevado consumo de produtos lácteos poderia mesmo promover a osteoporose, este é um assunto controverso. Note-se que a maior parte da humanidade está satisfeita com 350 mg de cálcio por dia, e que o teor de cálcio do leite materno é muito inferior ao do leite de vaca.

p>Yogurt é um componente da dieta cretense, que é supostamente muito benéfica para a saúde.

Digestibilidade do leite

Sobre 65% dos adultos em todo o mundo têm má digestão da lactose, que está contida em grandes quantidades no leite. Tipicamente, esta indigestão da lactose ocorre com a idade: a enzima beta-galactosidase, necessária para digerir a lactose, torna-se isofuncional. Isto resulta em dor abdominal, gases e/ou diarreia quando se consome leite, e mesmo reacções cutâneas (irritação, vermelhidão ou espinhas).

Artigo detalhado: intolerância à lactose.

Investigadores conseguiram mostrar que a ingestão de iogurte, em vez de leite, diminui a produção de hidrogénio e alivia os sintomas. Este efeito está associado a bactérias vivas que, durante a fermentação do iogurte, consomem grande parte da lactose no leite para a converter em glicose e galactose e produzem ácido láctico ou L-lactato, o que não causa sintomas. O conteúdo enzimático também ajuda a digestão da lactose nos intestinos. Finalmente, a textura do iogurte e a sua viscosidade permite um trânsito mais lento, deixando mais tempo para as enzimas digerem.

Na medicina persa, este efeito do iogurte é conhecido há muito tempo. A combinação de iogurte e arroz boulli (“katé-mâst”) para o tratamento de diarreia aguda é utilizada ancestralmente.

Em casos de alergia à proteína do leite, alguns artigos relatam indução de tolerância através da introdução de doses crescentes de proteína do leite na dieta. A quantidade de leite consumida é inicialmente muito pequena e aumenta gradualmente. Esta “cura” só é possível em crianças que podem tolerar a dose mínima no início, e não é automática. Além disso, as pessoas alérgicas às proteínas do leite que construíram uma tolerância devem continuar a consumir produtos lácteos, caso contrário a tolerância desaparece.

Artigo detalhado: Cow_milk#Allergy.

Cura de diarreia

Yogurt é um probiótico porque diminui a duração de certos tipos de diarreia, especialmente em crianças. A Organização Mundial de Saúde recomenda a substituição do leite por iogurte sempre que possível, durante o tratamento da diarreia porque é melhor tolerada do que o leite e pode ajudar a prevenir a desnutrição ou restaurar uma nutrição adequada

Baixo risco de cancro

Um estudo epidemiológico recente realizado em França mostrou que as pessoas que consumiam iogurte têm um menor risco de desenvolver grandes adenomas colorrectais, mas outro mostra um aumento dos cancros da próstata

Níveis de colesterol no sangue

Estudos mostraram que o consumo regular de iogurte não aumenta a concentração de colesterol no plasma.

Significado figurativo

Em círculos musicais, cantar à imitação de frases em inglês é referido como “iogurte”: os sons são reconhecíveis mesmo que o significado geral das frases permaneça obscuro ou irreconhecível. O objectivo deste processo é de cantar livremente sem pensar em palavras ou ideias que possam retardar a expressão imediata do cantor. Posteriormente, o letrista/cantor poderá copiar o seu texto (inglês) no seu iogurte a fim de dar à luz uma canção que parecerá fluida e natural de cantar. Na literatura, este conceito poderia ser comparado à escrita automática que mais tarde seria revista a fim de dar um significado lógico ao texto.

Apropos de um aperitivo, uma dose de pastis muito ligeiramente diluída em água pode ser descrita como “iogurte”

Fontes

  • Michèle Barrière, “Le yaourt”, in Historia, Novembro de 2011, p. 22 (ISSN 0750-0475)

Notas e referências

  1. Os benefícios para a saúde do iogurte: mito ou realidade? em www.doctissimo.fr
  2. O fabrico de iogurte, explicações em www.inra.fr
  3. a e b nutrition.fr em www.lanutrition.fr
  4. curso de Vet Lyon sobre leite em www2.vet-lyon.fr
  5. Benefício para a saúde do modelo de consumo mediterrânico em ecoetsante2010.free.fr
  6. Le lactose: un sucre pas si “lait” by France EVRARD in Oasis Allergie – Dezembro de 2002 N° 53
  7. (en) D. de Boissieu, C. Dupont, “Alergia ao leite de vaca: uma dieta restritiva ou não”, Arquivos de Pediatria 14 (2007) 310-312

Ver também

Em outros projectos da Wikimedia :

    li>Yogurt, no Wiktionary

Artigos relacionados

  • Kumiz
  • Ayran

Enlaces externos

  • INRA – A confecção de iogurte, explicações
  • (pt) iogurte
    Portal alimentar e gastronómicoPortal alimentar e gastronómico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *