Depreciação variável (ou depreciação por unidades de trabalho)

Na contabilidade, nenhum método de depreciação é proibido. Uma empresa pode optar por depreciar os seus activos utilizando métodos tradicionais (saldo linear ou decrescente). Mas também pode optar por uma depreciação variável, também chamada depreciação por unidade de produção. Compta-Facile apresenta este método de depreciação respondendo a várias perguntas:

  • O que é a depreciação variável?
  • Como calcular uma depreciação por unidade de trabalho?
  • É permitida a depreciação por unidade de trabalho na tributação?
  • Como apresentar um calendário de depreciação variável?

Depreciação variável

O que é a depreciação variável?

Depreciação variável envolve o cálculo da perda de valor de um activo com base nas condições esperadas do seu funcionamento. Por outras palavras, suaviza o valor de um activo ao mesmo ritmo a que consome os benefícios económicos que proporciona à empresa.

As anuidades de depreciação podem, portanto, variar de ano para ano, especialmente quando as fases de utilização intensiva se alternam com períodos menos intensivos.

Como calcular a depreciação por unidade de uso

Determinar a natureza da unidade de uso

Primeiro, para cada bem depreciado por este método, deve ser identificada a natureza da unidade de uso. Pode ser uma unidade de tempo (número de horas de utilização), uma unidade de medida (metros ou quilómetros), uma unidade de quantidade (número de peças fabricadas), etc. Em qualquer caso, deve reflectir o melhor possível a taxa de consumo de benefícios económicos esperada pela empresa.

Planeamento da taxa de consumo de benefícios económicos

Então, deve ser determinado o número de unidades de trabalho consumidas. Isto deve ser feito em relação a cada ano (ano contabilístico), e também no agregado, isto é, até ao fim da sua utilização pela empresa.

Calcular a anuidade de depreciação variável

Finalmente, o montante de depreciação a ser tomado em cada ano é obtido multiplicando a base depreciável pelo número de unidades de trabalho consumidas, e dividindo-a pelo número total de unidades de trabalho.

Anuidade de depreciação variável = Base depreciável × Unidades de trabalho consumidas ⁄ Total de unidades de trabalho

A base depreciável deve ter em conta o valor residual, se existir.

Exemplo de cálculo de depreciação variável

Uma empresa compra uma máquina a 1 de Janeiro N, por 50.000 euros, excluindo impostos. Vai utilizá-lo durante 5 anos e planeia produzir 50.000 peças à seguinte taxa:

  • 5.000 no primeiro ano
  • 5.000 no segundo ano
  • 10.000 no terceiro ano
  • 15.000 no quarto ano
  • 15.000 no quinto ano

Aqui estão os detalhes dos encargos de depreciação efectuados em cada ano:

>50.000 × 15.000 ⁄ 50.000

Ano Depreciação Detalhe de cálculo
1 5.000 50.000 × 5.000 ⁄ 50.000
2 5.000 50.000 × 5.000 ⁄ 50.000
3 10 000 50.000 × 10.000 ⁄ 50.000
4 15.000 50.000 × 15.000 ⁄ 50.000
5 15 000

Is desvalorização da unidade de trabalho.É permitida a depreciação por unidade de produção na tributação?

A doutrina dos impostos autoriza a utilização de depreciação variável mas apenas em casos muito específicos (moldes concebidos especificamente para executar um contrato ou equipamento especial para a execução de ordens “offshore”). Poucas empresas preenchem estas condições. Como resultado, sendo a depreciação por unidades de trabalho autorizada na contabilidade, devem ser aplicadas as declarações fiscais de reapresentação:

  • Quando a depreciação contabilística é inferior à depreciação linear mínima: a empresa deve registar uma depreciação excepcional;
  • No caso contrário (depreciação contabilística > depreciação linear): a empresa deve reintegrar uma parte da depreciação excessiva.

Vamos tomar o exemplo acima e fazer os ajustamentos “fiscais”:

<

0

>0

>0

>40.000

5

Ano Depreciação variável Depreciação linear Depreciação antecipada Extraaccounting Depreciação reduzida
1 5.000 10.000 5.000 0 10.000
2 5.000 10.000 5.000 0 20.000
3 10.000 0 30 000
4 15.000 10.000 (5.000)
15.000 10.000 (5,000) 0 50,000

Como se apresenta um calendário de depreciação variável?

Um calendário de depreciação variável inclui tipicamente a informação variável:

  • A data de aquisição do activo,
  • O período contabilístico (data de início e data de fim),
  • A anuidade de depreciação variável,
  • O montante da depreciação mínima (calculada numa base linear),
  • O montante da depreciação excessiva (dedução ou reintegração),
  • Ajustamentos extra-contabilísticos (dedução ou reintegração).
  • /li>

Tambem ler sobre depreciação:

  • O que é depreciação?
  • Como calcular a depreciação?
  • O que é depreciação de saldos decrescentes?
  • Como escolher entre depreciação linear e depreciação de saldos decrescentes?
  • Durante quanto tempo deve um activo fixo ser depreciado?
  • O calendário de depreciação de um activo fixo pode ser alterado?
  • Como depreciar um veículo de passageiros?

Conclusão: a depreciação variável raramente é encontrada na prática. No entanto, é geralmente o método de depreciação mais apropriado para certos bens (máquinas, equipamento, veículos …). Dá origem a declarações de impostos.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *