Dicionário médico da Academia de Medicina – versão 2021 (Português)

115 resultados

rigidez n.f.

rigidez, rigidez

Uma forma de hipertonia muscular manifestada pela resistência ao movimento passivo.
Um sinal clássico das síndromes de Parkinson, especialmente da doença de Parkinson, afecta os músculos proximais, distais e axiais. É um plástico, do tipo “tubo de chumbo”, e não é modificado pela velocidade dada ao movimento do segmento do membro, nem pela posição de uma articulação. Opõe-se assim à espasticidade ou rigidez “elástica” da síndrome piramidal.
O bem evidenciado nos movimentos de flexão-extensão do pulso, é acompanhado pelo fenómeno da roda dentada, que marca a variação da intensidade da resistência, com solavancos regulares.
Rigidez Parkinsoniana está associada a um exagero de reflexos posturais, que é a contracção reflexa de um músculo após ter encurtado.
Pode ser sensibilizado pela manobra de Froment, com o paciente a realizar um movimento voluntário do lado oposto.

Rigidez Cadavérica l.f.

rigidez cadavérica

Rigidez de todo o corpo, ocorrendo desde a 2ª -3ª hora até ao 2º -3º dia após a morte.
A quebra da adenosina trifosfórica causa turgescência e tensão das fibras musculares.

rigidez de decerebração l.f.

decerebrate rigidez

P>Padrão produzido por uma lesão do tronco cerebral acima dos núcleos vestibulares, ao nível intercolicular, ocorrendo imediatamente após a lesão e afectando os quatro membros, principalmente os músculos axiais e proximais.
Esta é uma contracção acentuada dos extensores com por vezes opisthotonos e rotação interna dos quatro membros, muitas vezes desencadeada apenas por estímulos dolorosos. É possível a contracção simultânea dos músculos flexor e extensor. A hipertonia muscular pode reduzir os reflexos osteotendinosos, mas o clonus patelar é comum e especialmente os reflexos cervicais e labirínticos são muito marcados.
Correspondendo à hiperactividade gama, esta rigidez surge da libertação de mecanismos activadores tónicos do reticulado. Este estado transitório, definido por um reforço dos mecanismos reflexos tónicos do pescoço e labirintos, deve ser distinguido, em particular, da espasticidade.

rigidez do colo uterino l.m.

rigidez do colo uterino

Esclerose do colo uterino relacionada com um processo inflamatório ou cicatricial, após, por exemplo, cerclagem ou cancro.

Lesão laboral e doenças profissionais (indemnização) l.m.p.

Sistema de cobertura de seguro para trabalhadores assalariados, cobrindo acidentes ocorridos durante ou devido ao trabalho e compensando quaisquer efeitos secundários de tais acidentes e doenças profissionais.
As contribuições são tanto do empregado como do empregador. A indemnização ao abrigo do regime de acidentes de trabalho e doenças profissionais é mais vantajosa do que ao abrigo do regime de saúde.
Os trabalhadores independentes não estão preocupados mas são livres de se segurarem com uma organização da sua escolha.

Etym. lat. accidens: aquilo que ocorre

Editar. 2016

DNA reparase (doenças de) l.f.p.

DNA reparase diseases

Desordens devido a um defeito na reparação do ADN dos núcleos celulares, incluindo xeroderma pigmentosum, síndrome de Cockayne, e ataxia-telangiectasia.
Xeroderma pigmentosum, uma doença rara, autossómica recessiva, resulta, entre outras coisas: fotossensibilidade da pele, carcinomas induzidos pelo sol, microcefalia, retardamento mental, hipogonadismo, neuropatia periférica com perda predominante de pequenas fibras e ataxia cerebelar.
Síndrome de Cockayne, uma doença recessiva autossómica excepcional com início precoce, mesmo in utero, combina: nanismo, microcefalia, envelhecimento precoce, ataxia, retinite pigmentosa, surdez, retardamento mental, calcificações arteriolares e perivasculares dos gânglios basais e serrilhados. Estes sinais estão relacionados principalmente com lesões desmielinizantes centrais (que resultarão em quadriplegia espástica) e lesões periféricas.
Ataxia telangiectasia ou síndrome de Denise Louis-Bar (1941), um distúrbio autossómico recessivo, envolve: dispraxia oculomotora, ataxia cerebelar, neuropatia axonal, telangiectasias oculocutâneas, infecções respiratórias e sinusais recorrentes, deficiência imunitária global frequente, e um curso pejorativo.

→ ataxia telangiectasia

Editar. 2017

angéite associada a doenças sistémicas l.f.

angeíte associada a doenças sistémicas

Doença vascular inflamatória durante doenças sistémicas: lúpus eritematoso sistémico,síndrome de Gougerot-Sjögren, síndrome de Behçet, sarcoidose.nfarte (enfarte arterial ou venoso, hemorragia cerebral) complica 5% do lúpus eritematoso sistémico. São mais frequentemente devidas à hipertensão arterial, endocardite Libman-Sachs, trombocitopenia, anticorpos antifosfolípidos, e complicações de tratamento do que à vasculite por lúpus.
Síndrome de Gougerot-Sjögren pode ser complicada pela vasculite cerebral. As biópsias, tanto cutâneas como neuromusculares, mostram lesões arteriolares de vasculite necrosante ou vasculite leucocitocítica.
Síndrome de Behçet, as principais complicações cerebrais são a trombose venosa, por vezes inaugural, seguida de rhombencefalite, caracterizada histologicamente por lesões parenquimatosas necróticas e hemorrágicas e infiltrados inflamatórios linfocíticos perivasculares.
Vasculite granulomatosa envolvendo pequenos e grandes vasos do cérebro foi relatada durante a sarcoidose.

Etym. gr. aggeion: vaso; ite: inflamação

→ vasculite, vasculite necrosante, vasculite leucocitocitocítica, lúpus eritematoso sistémico, síndrome de Gougerot-Sjögren, síndrome de Behçet, sarcoidose, endocardite Libman-Sachs, síndrome antifosfolipídica

Editar. 2019

cronicidade das doenças mentais l.f.

cronicidade

Caracteridade de uma doença mental que progride durante muito tempo, ou mesmo ao longo da vida, com ou sem fases agudas ou remissões, levando a longo prazo a uma alteração mais ou menos acentuada das funções psíquicas. Podem ser neuroses ou estados depressivos, mas sobretudo psicoses a longo prazo
Os próprios asilos têm sido creditados por desempenharem um papel importante no aparecimento desta situação. Mas a mudança de cuidados para unidades leves fora do hospital não a fez desaparecer.
Force é reconhecer que faz parte da psicose ou neurose, porque se baseia na existência de mecanismos psíquicos que reproduzem e fixam os sintomas e se opõem a qualquer mudança (cronicização).

Classificação internacional de doenças (CID) l. f.

Classificação internacional de doenças (CID)

Nomenclatura publicada pela Organização Mundial de Saúde, actualmente na sua décima revisão que entrou em vigor no nosso país em 1993 (CID-10/ICD-10). O Capítulo V (F) relativo a: “Perturbações mentais e comportamentais” tem várias particularidades.
Cada categoria é apresentada com uma definição das condições incluídas. O eixo é variável de acordo com os títulos: etiológico, sindrómico ou evolutivo.
O CID 10 refere-se na realidade a uma “família de documentos” com um glossário abreviado, um sistema multifacetado com vários eixos para descrever os pacientes e as suas perturbações, uma versão simplificada para utilização na prática geral, e as duas versões principais que são as descrições clínicas e as directrizes para o diagnóstico, bem como os critérios de diagnóstico para a investigação: CDR 10 (Genebra, 1994).s directrizes de diagnóstico permitem flexibilidade nas decisões de diagnóstico e permitem diagnósticos provisórios.
Os critérios de diagnóstico para a investigação incluem critérios rigorosos, parcialmente quantificados, de inclusão e exclusão, seguindo o procedimento americano, que se tornou amplamente utilizado com o DSM III. A sua utilização deve permitir constituir grupos suficientemente homogéneos de pacientes para a investigação clínica.

declaração obrigatória (doenças com) l.m.

notificação obrigatória de doenças

procedimento de vigilância epidemiológica que consiste numa recolha exaustiva de dados para uma análise da situação de certas doenças infecciosas e a instauração de acções preventivas adaptadas.
A declaração obrigatória baseia-se na transmissão de dados individuais à autoridade sanitária. A obrigação diz respeito aos médicos privados e hospitalares, bem como aos biólogos responsáveis pelos laboratórios de análises médicas públicos e privados. As declarações devem ser feitas aos inspectores de saúde pública do DDASS de acordo com dois procedimentos: relatório e notificação. Os dados são centralizados e analisados pelo Institut de veille sanitaire que os transmite às autoridades públicas (Direction générale de la Santé) com recomendações sobre as medidas a tomar ou acções a realizar. Em França, existem actualmente 30 doenças humanas notificáveis. Paralelamente, existe uma lista de doenças animais notificáveis.

→ vigilância epidemiológica, notificação, notificação

Deutman (doenças de) l.f.

Doenças deDeutman

A. F. Deutman, oftalmologista holandês (1971)

→ edema de cistoide macular dominante, distrofia da asa da borboleta, distrofia do olho do touro macular

epidemiologia das doenças de l. f.

.f.

epidemiologia das doenças alérgicas

Em inquéritos “ao público em geral”, quase 40% dos inquiridos dizem ter sido afectados de uma vez ou de outra por uma “doença alérgica”.
Um inquérito realizado pelo Departamento de Saúde dos EUA em 1949 colocou as doenças alérgicas em segundo lugar entre os problemas de saúde, logo atrás das doenças dentárias e a par de doenças muito comuns como reumatismo ou tensão arterial elevada.
As doenças alérgicas podem ser preocupantes quer devido à sua gravidade (choques anafilácticos) quer devido à sua natureza crónica (asma brônquica, urticária, eczema). O custo social não é negligenciável (perda de 5 milhões de dias de trabalho por ano nos Estados Unidos).
Esquematicamente, podemos distinguir:
– por um lado, doenças alérgicas muito frequentemente ligadas a um “terreno atópico”,
– por outro lado, doenças alérgicas não necessariamente ligadas a um terreno atópico: de alimentos, medicamentos, causadas por
picadas de himenópteros, alergias “físicas”, alergias a substâncias químicas.

→ epidemiologia

Editar. 2020

Fuchs (doenças de) l.f.p.

Fuchs diseases

E. Fuchs oftalmologista austríaco (1890)

→ Fuchs ptose familiar tardia, Fuchs iris heterocromia, Fuchs distrofia endotelial corneana, Fuchs atrofia giroscópica

Editar. 2019

Tranplante de neuróniofetal em doenças neurodegenerativas l.f.

enxertos de neuróniofetal em doenças neurodegenerativas

Técnicas de terapia celular por implantação de células retiradas do cérebro fetal.
Estes transplantes visam tratar um grande problema de saúde pública, representando mais de 1% da população, destinado a agravar-se com o envelhecimento progressivo da sociedade, e para o qual as terapias permanecem sem validade (doença de Alzheimer, esclerose lateral amiotrófica, doença de Huntington, etc.).Isto pode envolver a substituição anatómica e funcional de neurónios deficientes por transplantes estriados de neurónios dopaminérgicos fetais, ou o reforço das defesas naturais das células nervosas, em particular através do fornecimento (através de terapia genética) de factores proteicos neuroprotectores.
O potencial terapêutico da abordagem de substituição na doença de Parkinson é real, mas parece irregular e até agora diz respeito a um pequeno número de pacientes tratados em centros hiperespecializados. A abordagem neuroprotectora está a ser avaliada.

Köhler (doenças de) l.f.p.

Köhler’s disease

1) Escafóide tarsais.
2) Freiberg (doença de): osteocondrose da cabeça do 2º metatarso ou doença de 2º Köhler.

A. Köhler, médico radiologista alemão (1908)

doenças auto-imunes do fígado e do tracto biliar l.f.p.

Doença auto-imune do fígado e ducto biliferi

Doenças do fígado e/ou ducto biliferi com mecanismo auto-imune: Hepatite auto-imune (onde o alvo da reacção auto-imune é o hepatócito); cirrose biliar primária (onde o alvo da reacção auto-imune é o epitélio das pequenas condutas biliares intra-hepáticas); colangite esclerosante primária (onde o alvo da reacção auto-imune é representado pelas grandes condutas biliares intra e extra-hepáticas).
As síndromes de sobreposição combinam no mesmo doente duas das doenças auto-imunes anteriormente mencionadas: cirrose biliar primária e hepatite auto-imune, ou colangite esclerosante e hepatite auto-imune.

Doenças inflamatórias crónicas l.f.p.

p>doença inflamatória intestinal p>Grupamento das duas doenças inflamatórias do tracto digestivo: doença de Crohn e rectocolite hemorrágica.
Devem ser caracterizadas por lesões inflamatórias ulcerosas que podem atingir todo o tracto digestivo para a doença de Crohn e por localização do cólon e recto para a rectocolite hemorrágica. Em França, a incidência seria de aproximadamente 5000 por ano e a prevalência de aproximadamente 200.000. As perturbações podem ocorrer na infância (15%), mais frequentemente entre 20 e 30 anos: dores abdominais, diarreia que pode ser hemorrágica, rectorragia, vómitos, perda de peso. Os flare-ups, frequentemente febris, são separados por períodos de remissão. A endoscopia digestiva com amostras de biopsia permite o diagnóstico. Podem surgir complicações: obstrução intestinal, perfuração e carcinogénese, e podem ser observadas manifestações periféricas durante o curso da doença (artrite inflamatória). Estas condições parecem estar relacionadas com uma perturbação do sistema imunitário com genes predisponentes e poderiam ser promovidas por factores ambientais.

B. B. Crohn’s, gastroenterologista americano (1932)

Sigle IBD

→ Crohn’s (doença de), rectocolite hemorrágica

doenças infecciosas l.f.p.

Doenças infecciosas contraídas em países tropicais.
algumas são específicas destas regiões (doenças parasitárias ou virais com transmissão vectorial ou cutânea), outras dependem do ambiente (doenças com transmissão feco-oral, aérea, sexual).
A sua frequência varia de acordo com os países, duração da estadia, estilo de vida.

doenças inflamatórias crónicas e psiquismo intestino l.

→ amoebiose (distúrbios psíquicos e), colite ulcerosa

doenças linfoproliferativas pós transplante de órgãos (PTLD) l.f.p.

→ célula B madura, célula T madura, NK, histiocítica, e tumores da doença de Hodgkin (classificação da OMS Junho 2016)

doenças neuromusculares e pneumologia l.f.p.

Desordens neuromusculares, doenças neuromusculares (com doenças respiratórias)

p>Doenças que afectam os músculos respiratórios ou a sua inervação, tais como poliomielite, síndrome de Guillain-Barré, esclerose lateral amiotrófica (doença de Charcot), miastenia gravis, e distrofias musculares.
Todas estas condições podem evoluir para insuficiência respiratória, que ocorre apenas com envolvimento diafragmático.

J-M. Charcot, neurologista francês, membro da Academia de Medicina (1825-1893); G. Guillain e J. A. Barré, neurologistas franceses, membros da Academia de Medicina (1916)

doenças com agentes transmissíveis não convencionais l.m.p.

→ priões (doenças com)

Editar. 2017

doenças virais agudas das vias respiratórias inferiores (causas de) l.f.p.

doença viral das vias respiratórias inferiores (etiologia)

Doenças respiratórias agudas são virais em quase 2/3 dos casos.
Pertence a 8 géneros diferentes, representando mais de 200 vírus antigenicamente distintos. A maioria destas infecções virais afecta as vias respiratórias superiores, mas a árvore respiratória inferior é frequentemente afectada durante certas epidemias.
Estes vírus são:
– rinovírus,
– coronarovírus,
– vírus sincicial respiratório,
– vírus para-influenzae,
– adenovírus,
– vírus influenza A e B,
– enterovírus,

→ pneumonias virais e broncopneumonias

MYH9 (doenças relacionadas com) o.f.p.

Doenças relacionadas com o MYH9, IGPDs

O nome sob o qual as várias síndromes, de transmissão autossómica dominante, relacionadas com mutações no gene MYH9 (MYosin Heavy chain 9) localizado em 22q12.13 e codificação para uma miosina não muscular de cadeia pesada NMMHCIIA (Non Muscular Myosin Heavy Chain IIA) expressa em certas células sanguíneas: polinucleares, monócitos, plaquetas e nas membranas celulares de certos órgãos.
Estas doenças que são variantes alélicas têm em comum uma tendência hemorrágica, uma diminuição do número de plaquetas com um aumento do seu volume, inclusões intracitoplasmáticas e, inconstantemente, lesões renais, surdez, cataratas congénitas.
Incluem actualmente quatro síndromes: May-Hegglin’s, Sebastian’s, Epstein’s, e Fechtner’s (à qual a síndrome tipo Alport-like foi anexada), relacionadas com diferentes mutações do gene MYH9.
Sigma: IGPDs, acrónimo inglês de Inherited Giant Platenet Disorders

M. Seri, médico geneticista italiano (2000)

Syn. MYHIIA (síndrome),

→ macrotrombocitopenia, Fechtner (síndrome de), May-Hegglin (síndrome de), Sebastian (síndrome de), Epstein (síndrome de), Alport-like (síndrome de)

nomenclatura de doenças l.f.

Lista de doenças e lesões traumáticas elaborada com vista a uma aplicação precisa e sem ter sempre em conta as analogias entre estas condições.
Por exemplo, é elaborada uma nomenclatura de doenças para avaliar a actividade de uma instituição de saúde, para fixar uma escala de honorários médicos, etc.

→ classificação de doenças

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *