E se os ministros se tornassem artesãos?

Os artesãos estão zangados, mas mantiveram o sentido de humor… Assim, a UPA lança esta sexta-feira, 27 de Maio de 2016, uma campanha de comunicação novela e fora do comum, dirigida directamente aos ministros do Governo, a fim de lhes mostrar concretamente “o absurdo do Artigo 43 do projecto de lei Sapin II, que prevê a supressão da obrigação de possuir uma qualificação profissional para exercer muitos ofícios da indústria artesanal”.

Para o fazer, a organização patronal imaginou as possíveis reconversões profissionais de seis ministros, que encenou através de um sítio web dedicado www.maboxloisapin.fr. “Como fazer compreender aos nossos queridos ministros que não se improvisa um artesão? Decidimos confrontá-los com o absurdo da sua proposta, projectando-os nos seus futuros empregos: padeiro, talhante, electricista, estucador, esteticista, mecânico… Se é fácil tornar-se artesão, um simples kit ‘Ma Box Loi Sapin’ deve ser suficiente! “, Jean-Pierre Crouzet, presidente da UPA.

Ferramentas de plástico e folha prática

Esta caixa não é apenas virtual, e os ministros deveriam receber a sua neste dia, em real! Assim, Manuel Valls, um futuro estucador, deveria receber na sua caixa, para além de um cartão de trabalho, ferramentas de plástico tais como uma talocha, um carro alegórico, um nível e um capacete. Pela sua parte, Ségolène Royal, como futura boa electricista, poderá divertir-se com um kit electrónico com componentes e óculos de protecção… Acabou-se a campanha de sensibilização sem redes sociais, e com o #ArtisanDemain, dizem-nos que podemos acompanhar a entrega destas caixas em tempo real!

Caixa da lei de Napin
Caixa da lei de Napin © UPA

além da caricatura e do escárnio, é um verdadeiro grito de alarme que a UPA está mais uma vez a lançar. “A lei Sapin II é um ataque frontal à indústria artesanal, a empresa líder em França. Prepara uma desvalorização dos nossos ofícios, uma depreciação da qualidade dos produtos e serviços e a perda do know-how artesanal que faz a fama do nosso país no internacional”, deplora Jean-Pierre Crouzet.E o presidente do Capeb, o principal apoiante desta campanha da UPA, lembra-nos, “O comércio da construção civil forma um todo e não pode ser objecto de um ‘corte de salame’ numa sucessão de actividades, algumas das quais seriam ‘actividades complexas’ que exigem qualificações, e outra parte seria ‘actividades simples’ que não exigem nenhum know-how”.

Caixa de direito de Napin
Caixa de direito de Napin © UPA

“Um diploma, para quê? “

Todos são convidados a transmitir esta campanha, que também será voltada para o mundo da aprendizagem, o primeiro a ser afectado pelas consequências da lei Sapin II. “Você prepara um diploma que não o servirá para nada”, parece enviar como uma mensagem ao Governo, explica a UPA. Patrick Liébus acrescenta: “Podemos não ter feito o ENA, mas temos pelo menos uma PAC! Imagine Manuel Valls como gesseiro ou Ségolène Royal como electricista? Com ‘Ma Box Loi Sapin’, desafiamos as nossas elites políticas a improvisarem como artífices de construção sem passarem pela qualificação”.

Lê também
    li> Qualificação de artífices: será que a indústria da construção vai escapar-lhe?

Será que os ministros vão apreciar o gesto? Neste final de tarde, Jean-Pierre Crouzet, entrevistado por Batiactu, ainda não tinha tido um regresso. Fiz a minha escolha há muito tempo entre isto e a violência”, confidenciou ele. Agora, resta ver como esta acção será interpretada, estamos à espera para ver como irá evoluir”. Continuaremos a desenvolver as ferramentas necessárias para formar os nossos ministros”, diz o presidente da UPA. Permanecerá no mesmo espírito, num tom de humor e zombaria”, garante-nos ele. Em qualquer caso, como o seu vice-presidente Patrick Liébus já tinha insinuado durante a sua última conferência de imprensa, ele acredita que “as coisas podem mexer-se”. “Quem pode defender o contrário? pergunta-se, achando “uma pena” que as reformas estejam a ser empreendidas sem ter em conta as suas consequências. Vamos ouvi-lo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *