George W. Bush permanece invisível

O impopular presidente dos EUA, George W. Bush, rodeou-se na terça-feira à noite com amigos e familiares próximos na Casa Branca para monitorizar os resultados eleitorais longe dos olhos do público, e louvou o vencedor à bênção de Deus, disse a sua porta-voz.

r. Bush deveria permanecer invisível do público até ao fim.

A sua porta-voz, Dana Perino, deveria divulgar um comentário assim que o vencedor presidencial fosse conhecido. Mas como a chegada gradual dos resultados trouxe o democrata Barack Obama cada vez mais perto da vitória, Perino sinalizou que não apareceria perante as câmaras e que se contentaria com uma reacção escrita.

Ela citou a hora tardia.

Os Bushes começaram a noite de eleições com amigos e membros da equipa presidencial durante um jantar “agradável” nos aposentos pessoais do presidente na Casa Branca, disse Perino.

Para Bush, a noite foi também uma oportunidade para celebrar o 62º aniversário da sua esposa Laura, disse Dana Perino.

Serviram alguns dos pratos favoritos da Sra. Bush, juntamente com um bolo de aniversário de coco, disse ela. A primeira dama americana recebeu um par de brincos do seu marido.

“O presidente fez um brinde no início do jantar, agradeceu àqueles que estiveram presentes por todo o trabalho que fizeram e pela sua amizade. Ele terminou dizendo: “Deus abençoe quem ganhar esta noite”, disse Perino.

p>Bush então seguiu os resultados com alguns dos seus ajudantes. Fez telefonemas para felicitar os republicanos vitoriosos nas eleições para o Congresso.

Sr. Bush, evitado por John McCain – embora um republicano como ele – e usado como espantalho pelo candidato democrata à frente Barack Obama, tomou uma parte cada vez mais pequena na campanha à medida que as eleições se aproximavam. Nos últimos dias, tem mostrado pouco à imprensa para além de levar um helicóptero de e para o retiro presidencial de Camp David.

Os seus porta-vozes citaram a carga de trabalho das últimas semanas, que teve o Sr. Bush a braços com a crise financeira, a guerra na Geórgia ou furacões.

Mas a sua porta-voz tinha reconhecido na segunda-feira o Sr. Bush. McCain não estar associado a um presidente que bate recordes de impopularidade.

Sr. Bush “percebe que não se trata dele nesta eleição… Também não ignoramos que o Partido Republicano queria que se tratasse do Sr. McCain nesta eleição, e tudo bem”, a Sra. Perino tinha dito.

“Muitas vezes, quando se fazem coisas grandes, tomam-se decisões difíceis, não são populares. O Presidente Bush compreende isso. Dito isto, ele ama este país, ama estas pessoas, ama o seu trabalho, e estará a observar com grande interesse os resultados amanhã à noite (esta terça-feira) à medida que eles chegam,” segundo Perino.

Bush tinha votado já no dia 24 de Outubro nas sondagens antecipadas para McCain, de acordo com Perino. As cédulas dos Bushes tinham sido enviadas no mesmo dia para o estado do Texas, onde os Bushes estão registados.

Quem se tornar o 44º presidente dos Estados Unidos, a Sra. Perino reiterou na terça-feira o compromisso do Sr. Bush em fazer a transição “o mais suave possível”.

O próximo presidente toma posse em 20.01.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *