Jovem mulher grávida estrangulada e queimada

“Isto é terrível!” As palavras de Dejana lutam para transmitir o horror. O jovem de 23 anos é o companheiro de quarto da vítima que desapareceu por volta das 23 horas de sexta-feira à noite. “Eu estava atento ao som das chaves na fechadura. Eu tinha a certeza de que ela voltaria para casa”, diz ela entre soluços. As duas jovens mulheres conheciam-se há seis anos. Partilharam o aluguer de um pequeno apartamento em Les Charmilles. Mas a Lory* nunca voltou para casa. O seu corpo foi encontrado na terça-feira queimado numa floresta em Friburgo. Os inspectores judiciais suspeitaram imediatamente de um suíço de 24 anos residente na região de Genebra que tinha mantido uma relação íntima com a vítima. Após várias audiências, finalmente confessou tê-la matado na sexta-feira à noite por estrangulamento. A gravidez da vítima seria um dos motivos para o homicídio. “A criança era dele”, afirma Dejana. Mas também estava a viver com outra mulher de 27 anos de origem peruana. Invejosa como ele, ela assediava Lory constantemente. Ela disse que faria tudo para conseguir um aborto. E ela até lhe disse que nunca aceitaria que ele pudesse ter um filho com outra mulher”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *