Natação: Ariana Kukors americana acusa o ex-técnico nacional de abuso sexual

Former a nadadora olímpica americana Ariana Kukors acusa Sean Hutchison, um dos ex-técnicos da selecção nacional, de a ter abusado quando tinha 16 anos.

“Percebi que histórias como a minha já não podiam ser mantidas em silêncio”, disse Kukors, agora com 28 anos, numa declaração que desde então foi recolhida por vários jornais dos EUA.

O ex-campeão dos EUA, que ganhou nomeadamente o título mundial em 2009 e representou os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de 2012, explicou, entre outras coisas, que Hutchison, que serviu como treinador assistente da equipa olímpica de natação a partir de 2008, começou a fazer avanços sexuais para com ela quando tinha 13,

Estas acusações foram refutadas pelo ex-treinador. “Em nenhum momento abusei de Ariana Kukors ou fiz algo com ela que não fosse consensual”, disse ele numa declaração divulgada à imprensa pelo seu advogado, Brad Meryhew. “Nego que tive com ela qualquer relação de natureza sexual ou romântica antes de ela própria ter idade suficiente para tomar tal decisão”, acrescentou.

No seguimento do caso Weinstein, várias atletas americanas revelaram nos últimos meses que foram abusadas sexualmente por treinadores ou membros de equipas olímpicas.

Former médico da equipa de ginástica norte-americana Larry Nassar foi recentemente condenado a várias pesadas penas de prisão em três julgamentos por abuso sexual de ginastas norte-americanos. Nassar, 54 anos, tem a garantia de terminar os seus dias sob custódia após receber uma sentença de 40 a 125 anos de prisão após o seu terceiro e último julgamento, acrescentando a duas pesadas sentenças anteriores: 60 anos por possuir imagens de pornografia infantil em Dezembro, e 40 a 175 anos por molestar quase 160 ginastas, a maioria deles menores, anónimos como campeões olímpicos, no final de Janeiro.

b/wd/dep

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *