Nova multa anti-droga: “A inscrição no registo criminal que pode dar para pensar”


Interpelação de um consumidor depois de ter sido apanhado em flagrante nos subúrbios de Rennes, onde foi realizada uma experiência durante dois meses: Uma multa fixa de 200 euros © Maxppp / Thomas Brégardis

p>Para Philippe Astruc, procurador do Ministério Público de Rennes, a avaliação desta experiência, lançada durante dois meses em 5 áreas: Rennes, Creteil, Reims, Marselha e Lille é conclusiva.

FRANCE INTER: Quantas multas foram aplicadas?

PHILIPPE ASTRUC: “Na jurisdição de Rennes, houve 172 multas; 545 a nível nacional, principalmente para a resina de cannabis (166), bem como alguns utilizadores de cocaína (7). Trata-se de uma ferramenta muito simples da qual a polícia tem tirado partido. Optamos por efectuar controlos em zonas próximas dos pontos de venda, mas também à margem das festas livres, ou em zonas de trânsito como a estação de autocarros, com a ajuda de esquadrões de cães”

Como reagem os utilizadores de bilhetes?

“É uma multa de 200 euros, 150 euros se pagar dentro de 15 dias, 450 se pagar para além de 45 dias. O que mais me surpreendeu não foi tanto o montante da multa: em teoria, a lei permite uma multa de até 3.750 euros pelo uso ilegal de drogas, e até um ano de prisão, pelo que pode não parecer muito; mas é sobretudo o registo no registo criminal. Isto pode dar a algumas pessoas motivos de reflexão. Em particular, por exemplo, aos jovens que gostariam de trabalhar na função pública onde é necessário um registo limpo. Pode mudar o comportamento”

Qual é o objectivo?

“É difícil ter resultados convincentes na luta contra o tráfico de droga, contra a liquidação de contas – resultados esperados pelos cidadãos – se não fizermos com que aqueles que compram estas drogas e criam este mercado sejam responsáveis a montante. Há frequentemente uma tendência para separar os dois lados: a luta contra o tráfico e a questão da utilização, mas estes são dois aspectos do mesmo problema. Por isso, espero que, actuando a montante, mudemos o comportamento. Vimos isto com controlos mais frequentes na estrada: funciona, todos nós mudámos o nosso comportamento na condução e há menos mortes nas estradas. Espero que tenhamos o mesmo tipo de resultado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *