O telefone sem fios, mas não sem ondas…


CT0

A primeira geração de telefone sem fios chama-se CT0 (CT para a geração 0 de Telefonia sem fios). Aparecendo nos anos 80, utilizava um sinal analógico, enviado em banda FM (modulação de frequência), com frequências de 26,3-26,5 MHz e 41,3-41,5 MHz.

Estes telefones foram comercializados até 1999 em França. Tinham uma antena telescópica.

CT1

A geração CT1 foi utilizada principalmente na Alemanha e países escandinavos a partir de 1984. O sinal é também do tipo analógico. As frequências utilizadas são superiores às da geração anterior: 915 – 915 MHz na transmissão e 959-960 MHz na recepção.

CT1+

Esta geração, também analógica, utiliza frequências a 885-887 MHz na transmissão e 930-932 MHz na recepção. Foi utilizado desde 1987.

CT2

A geração CT2, que apareceu em 1989, utiliza um sinal digital. A base e o aparelho comunicam na mesma frequência (864-868 MHz). A grande diferença em relação às gerações anteriores é o sinal digital (digital) e não analógico e especialmente no facto de esta técnica utilizar sinais pulsados (a 500 Hz). Existem fortes presunções sobre o perigo potencial, de ondas de alta frequência em geral, mas de ondas pulsadas em particular (ver o nosso artigo: http://pollution-electromagnetique.over-blog.com/2016/04/ondes-pulsees.html).

DECT

Os primeiros telefones com tecnologia DECT (Digital Enhanced Cordless Telecommunication) apareceram em 1995. Esta geração suplantou todas as versões anteriores. Esta tecnologia utiliza frequências digitais de 1,9 GHz com impulsos de baixa frequência (100 Hz)

Hoje em dia, a tecnologia DECT telefone sem fios é ultra-maioritária na Europa. A conveniência deste telefone (que já não tem antena telescópica e cujo alcance se tornou maior) é óbvia. Além disso, as comunicações das antigas gerações analógicas poderiam ser “pirateadas” por uma terceira pessoa.

No entanto, a sua utilização é cada vez mais denegrida, existem muitos testemunhos relacionados em particular com a alteração da qualidade do sono (ver o nosso artigo sobre ondas pulsadas). A pulsação, para além da alta frequência, gera correntes eléctricas cerebrais visíveis por um electroencefalograma. Ver um artigo interessante no seguinte site:http://www.robindestoits.org/ETUDE-les-telephones-sans-fil-DECT-et-le-WiFi-provoquent-des-irregularites-cardiaques-23-10-2010_a1138.html

Experiments show that the application of a wave with a frequency close to 600 kHz (applied for several seconds to several minutes) and with a PSD (power flux density) of about 100,000 W/m2 produces macroscopic effects (ablations) on biological tissues (CF: patente WO 3020/009141).

Nota: para a definição de PSD ver o nosso artigo: http://pollution-electromagnetique.over-blog.com/2016/03/relation-mathematiques-entre-unites.html

Com tecnologia DECT, e dependendo de certos tipos de dispositivos, a estação base emite permanentemente ondas pulsadas, mesmo quando o telefone não está a ser utilizado.

Podemos também verificar, com um detector de alta frequência, que a estação base emite fortemente quando o aparelho não está desligado (mesmo que não haja comunicação em curso). Também fomos capazes de verificar que algumas bases DECT emitem Superfícies de Densidade de Energia (PSD) mais importantes do que um terminal Wi-FI! As ondas são detectáveis a vários metros à volta da base.

Para isso, veja o nosso vídeo abaixo, onde vemos a emissão electromagnética emitida pela base DECT quando o telefone já não está colocado sobre ela:

É portanto essencial, se possível, obter um telefone com fio antigo. Se esta não for a sua escolha (por razões práticas compreensíveis), é melhor obter um telefone sem fios utilizando tecnologia CT1 ou CT1+.

Se, no entanto, lhe for impossível ou se não desejar mudar o seu telefone, devem ser tomadas as seguintes precauções:

  • afastar a base das áreas habitáveis onde passa muito tempo (quarto, escritório ….)
  • deixa sempre o aparelho na base quando não há comunicação em progresso.

Muitos telefones que utilizam tecnologia CT1+ ainda existem no mercado. As mais recentes são:

  • “France Telecom Amarys 165”, ainda disponível no Priceminister por menos de 30 euros
  • “Philips Icana 5250” mais difícil de encontrar
  • “Philips Evalia 5500” também difícil de encontrar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *