Primeiro dia na creche: um guia de sobrevivência

Apreensão, ansiedade ou culpa, o primeiro dia do bebé na creche raramente é uma brisa para os pais. Dicas e conselhos para fazer a primeira grande separação correr sem problemas.

Renaud tinha nove meses quando Josée-Anne o confiou pela primeira vez ao educador da creche. “Eu gostaria de ter esperado mais um mês”, disse a mãe, alguns dias depois do grande dia. Mas para manter um precioso lugar subsidiado num ambiente familiar, os pais concordaram em integrar gradualmente o seu filho antes de Josée-Anne regressar ao trabalho.

“No primeiro dia, fui com ele durante uma hora. Foi como uma visita”, diz ela. O segundo dia foi mais difícil, especialmente para a mãe. “Dei-lhe um beijo de despedida e saí rapidamente. Tinha lágrimas nos olhos. Não porque estivesse preocupada, pelo contrário, confiei realmente no educador. Mas esse é outro passo…”

A estratégia de pequenos passos empregados pela Josée-Anne é geralmente recomendada por creches, diz Nathalie Gagnon, conselheira pedagógica do CPE La Grimace na cidade do Quebeque. Embora cada criança seja única e reaja de forma diferente à mudança, a integração gradual no novo ambiente pode ajudar a suavizar o choque inicial, diz ela. “É uma boa maneira de habituar a criança, mas também de a fazer sentir-se segura”

Um método que também irá confortar os pais! Porque em apenas algumas horas com a educadora, têm a oportunidade de a informar dos hábitos da criança e vê-la evoluir na sua nova creche.

A partida dos pais
>/p>

mas depois vem o momento mais temido: a partida. “É importante que o pai se sinta suficientemente confiante para não arrastar a partida”, diz ela. A criança sente as nossas emoções. Ele sabe que, se chorar, terá uma resposta”. Assim, andar constantemente para trás e para a frente não facilita nada.

O conselheiro, que testemunhou muitas cenas de partida, também assegura que o choro normalmente não dura. “Os pais podem também pedir ao educador que lhes ligue alguns minutos depois de saírem para lhes dizer se tudo voltou ao normal”, sugere ela. Geralmente, acrescenta ela, a primeira semana é a mais difícil. Depois disso, as partidas devem ser menos dolorosas à medida que o laço de ligação se desenvolve entre o pequeno e o seu educador.

Os pais não devem hesitar em fazer perguntas ou expressar preocupações, diz ela. Da mesma forma, o educador também beneficiará da informação dada pelos pais. O seu bebé teve uma noite má? Ele está a nascer? Saber isto irá ajudá-la na sua tarefa. “A boa comunicação entre os pais e o educador contribui para o desenvolvimento da criança”, diz o consultor educacional.

Para uma transição bem sucedida
>/p>>p>alguns pequenos gestos podem trazer grande conforto durante os primeiros dias na creche.

Prover um período de formação para o novo horário da creche (refeições, sestas) para que a criança esteja familiarizada com este ritmo.

Se o fornecedor da creche ainda não o sugeriu, resuma numa folha de papel os gostos e hábitos da criança (comida, rotina, sono, etc.), bem como os seus truques para a confortar ou para a adormecer de modo a facilitar a transição.

P>Pense em trazer um objecto significativo, tal como um animal de peluche ou um cobertor, que a criança irá manter com ele. A cama de casa também o tranquilizará com o seu cheiro familiar.

p>Instabelecer um ritual à chegada à creche com a criança. Tire o tempo necessário para retirar o seu vestuário exterior e despedir-se com um beijo e um abraço. Isto ajuda a criar uma sensação de segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *