Quisto cerebral: sintomas, perigo, que cirurgia para o remover?


Definição: o que é um cisto no cérebro?

Um cisto é uma bolsa presa a um tecido orgânico ou então um órgão, de estrutura e tamanho variáveis, mas que não tem comunicação com o exterior. No cérebro, os cistos aracnoides distinguem-se, desenvolvendo-se dentro do aracnoide, uma das três membranas meníngeas, envelopes cujo papel é a protecção do cérebro. “Estes quistos estão presentes desde o nascimento e podem ser descobertos em crianças ou adultos. Eles são sempre benignos”, diz o Dr. Apra. Há também cistos epidermóides e alguns tumores cerebrais são por vezes císticos na natureza, como o astrocitoma em crianças.

É grave ou benigno?

“Na maioria dos casos, trata-se de quistos que são descobertos incidentalmente, na sequência de um TAC ou ressonância magnética realizados por outro motivo (dor de cabeça, trauma, sinusite ou mesmo infecção dentária, por exemplo). Muito frequentemente, eles são totalmente benignos, por isso nada de especial é feito, não é feito qualquer controlo. Por outro lado, quando um neurologista ou neurocirurgião tem uma dúvida sobre a natureza de um quisto, pode pedir testes adicionais. Em casos mais graves, um cisto pode ser um sinal de que existe um tumor associado, caso em que requer gestão”, explica a Dra. Caroline Apra.

Sintomas e consequências

P>A maior parte do tempo no cérebro, estes quistos não são responsáveis por quaisquer sintomas (uma vez que o cérebro não é interiorizado), mas dependendo da sua localização e tamanho, podem levar a dores de cabeça, náuseas, tonturas, convulsões, ou sinais relacionados com a área do cérebro que por vezes podem ser comprimidos. Contudo, na maioria das vezes, o cérebro desenvolveu-se em torno do cisto e o cisto não é compressivo”, diz o especialista. Estes sintomas podem por vezes estar ligados às enxaquecas, pelo que é difícil de avaliar. Em resumo, para os quistos que não são benignos, vamos olhar para duas coisas: por um lado, se existe um tumor associado a ele (também pode ser benigno, e por isso não é necessariamente canceroso); por outro lado, se o cisto não está ligado a uma infecção. O que é certo é que quando um cisto é descoberto, um médico deve ser consultado, para que um especialista possa dar a sua opinião sobre ele”, comenta o neurocirurgião.

Causas

Um cisto no cérebro pode ter origens diferentes:

  • alguns cistos aracnóides estão presentes desde o nascimento mas não impedem o cérebro de se desenvolver normalmente. Isto significa simplesmente que são quistos que contêm líquido céfalo-raquidiano, que está naturalmente presente no cérebro.
  • Tumores que permanecem extremamente raros. Podem ser benignas ou cancerosas, caso em que podem ser metástases provenientes de outros cancros ou um tumor primário intracraniano.

  • Uma infecção: isto é mais em países em desenvolvimento ou em pessoas que viajaram para países com más condições sanitárias. Mas é ainda mais raro que os tumores.

Age

“Cistos Arachnoid podem ser descobertos em qualquer idade. Para outros quistos, depende da causa, por isso é difícil de especificar”, nota o neurocirurgião.

Diagnóstico: que testes?

A RM do cérebro realça o quisto. “Por vezes é descoberta por acaso numa tomografia computorizada, mas se é realmente típica de um quisto aracnoide benigno, não precisamos de fazer mais testes. A pessoa apenas aprenderá que tem um quisto e continuará a viver normalmente. Se percebermos que se trata de um cisto de outra origem, podemos ter de realizar uma cirurgia, quer para colher uma amostra, quer para remover o cisto, dependendo do que vemos na ressonância magnética”, salienta o especialista.

Operação: como removê-la?

Dependente do caso e dependendo da natureza, do impacto na vida do indivíduo e do local, é por vezes realizada uma operação cirúrgica se for possível. “A cirurgia é realizada sob anestesia geral. Uma cicatriz é feita no cabelo e depois o osso é aberto, o tumor é removido e fechado. Cada caso é particular e a operação vai ser adaptada à história da pessoa e da RM”, acrescenta o especialista.

Complicações

“Dependendo da localização do quisto no cérebro, pode causar sintomas diferentes, uma vez que cada área do cérebro tem uma função específica. Assim, alguns podem ser facilmente compensados. Por exemplo, se um tumor se desenvolver nas partes frontais do cérebro, pode não aparecer. Por outro lado, se desenvolver um tumor na área que é usada para as capacidades motoras, vai desenvolver uma paralisia, por isso vai notar muito mais rapidamente do que noutra área”, observa o neurocirurgião.

Pode morrer dele?

“Não é necessariamente o próprio quisto que é irritante, mas a doença que ele revela. Se forem cistos aracnoides benignos, não alteram em nada a esperança de vida ou qualidade de vida. Por outro lado, se revelar um tumor ou uma infecção no cérebro, é essencial que seja tratado rapidamente por um especialista”, continua a Dra. Caroline Apra.

Obrigada à Dra. Caroline Apra, uma neurocirurgiã do Pitié-Salpêtrière.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *