Revisão GeralHistamina: o papel do mediadorO papel da histamina como mediador

Histamina é um mediador essencial na fisiopatologia de múltiplas patologias alérgicas. É sintetizada em células inflamatórias e imunocompetentes, em células parietais do estômago e em neurónios (reserva lábil). É libertado na pele, intestino, fígado e brônquios durante o conflito antigénio-anticorpo ou sob o efeito de drogas (morfina), venenos, toxinas, agentes endógenos (cininas), radiação, durante queimaduras ou eventos inflamatórios. A histamina é um potente vasodilatador, que também aumenta a permeabilidade capilar; causa broncoconstrição, activa as células inflamatórias, estimula as secreções gástricas e tem efeitos inibidores ou estimulantes sobre o sistema nervoso central ou periférico. As acções biológicas da histamina resultam da activação de quatro tipos de receptores H1, H2, H3 e H4. Os receptores H1 predominam em músculo liso (bronquial, intestinal, etc.), fibras nervosas e células imunoinflamatórias, receptores H2 no estômago, coração, receptores H3 nas fibras nervosas centrais ou periféricas, e receptores H4 nas células imunoinflamatórias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *