The Club Player

Para o colocar num cliché de mão pesada, é preciso todos os tipos para fazer um mundo. Uma declaração que também se aplica a uma equipa de futebol. Pequeno, alto, magro, não tão magro. Jovens, velhos, novos e fiéis entre os fiéis. Em Esvres, alguns jogadores – são raros – só conheceram uma e apenas uma camisola. Este é nomeadamente o caso daquele que é apelidado de “Chich”, a maioria deles sem saber realmente porquê. É um apelido que vem de uma adolescência distante. Este famoso “Chich”, Aurélien pelo seu primeiro nome, vejo-o desde as equipas de jovens. A sua primeira licença no clube foi assinada quando a equipa francesa ainda não tinha ganho a sua primeira estrela. Desde então, o caso amoroso tem estado em curso, com excepção de uma época em que ele foi posto de lado com uma lesão no tornozelo. Foi o tempo que durou. A nível da juventude, era um dos elos mais fortes de uma equipa que era, de facto, mais do que isso: um verdadeiro bando de amigos. Se a equipa se desintegrar ao longo dos anos, a banda sobrevive. As memórias são legião em campo, com ele e os outros amigos. Vitórias, títulos, derrotas, lesões. Hoje, já nos seus trinta anos, continua a dar o seu coração e alma – na medida do possível – por um clube que é parte integrante da sua identidade. Mesmo que a sua actividade profissional tenha tido o seu peso na sua dedicação. Deixou de ser um membro regular da primeira equipa durante muitos anos para ser um macaco de todos os ofícios no plantel sénior. Por vezes foi convocado para a primeira equipa. Por vezes na terceira equipa. Por vezes nas reservas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *