United Nations Office on Drugs and Crime

UNODC luta contra o cibercrime para manter as crianças seguras online durante a pandemia de COVID 19

DAKAR Outubro é o mês de Cyber Safety Awareness e uma oportunidade para lembrar os utilizadores da Internet de se manterem vigilantes dos perigos cibernéticos que espreitam online.

Com o encerramento de escolas e outros serviços de apoio, o tempo gasto online susceptível de aumentar, e as crianças serem trancadas em casa, acredita-se que as crianças podem estar em maior risco de exploração sexual online e offline.

Polícia, organizações governamentais e não governamentais (ONG) em todo o mundo expressaram preocupação com o impacto que as medidas de isolamento COVID-19 podem ter nos crimes contra crianças.

As medidas de contenção aumentam a quantidade de tempo que crianças e adultos passam online para fins educativos, profissionais, de entretenimento e sociais, e criam um risco involuntário de exploração sexual por predadores que operam online.

Para promover a cibersegurança durante o mês de Outubro, o Programa Global de Cibercrime do UNODC em Dakar está a lançar um vídeo semanal de sensibilização para crianças sobre um aspecto diferente da segurança em linha.

>br>

>br>

Estes pequenos vídeos animados ilustram os perigos de sexting, falar com estranhos online, cyberbullying e comprar “presentes”. Para o máximo impacto, os vídeos foram distribuídos em francês, inglês e português nas contas do twitter do UNODC, bem como em plataformas em Cabo Verde, Guiné-Bissau, Gana (em colaboração com a UNICEF), Benin, Senegal, Mali e Nigéria.

De acordo com a investigação da Interpol, as organizações internacionais de direitos da criança dizem que em anteriores emergências de saúde pública (por exemplo, Ebola em 2014-16 na África Ocidental), o encerramento de escolas contribuiu para um aumento do abuso sexual infantil e da gravidez na adolescência. Na Serra Leoa, os casos de gravidez na adolescência mais do que duplicaram para 14.000,

As crianças vulneráveis correm um risco acrescido de exploração, especialmente as que vivem sem cuidados parentais, uma situação que provavelmente será exacerbada pela COVID-19. Existe um risco crescente de exploração sexual de crianças, incluindo sexo assistido, exploração sexual comercial de crianças e casamento forçado precoce.

Em áreas severamente afectadas pela COVID-19, as situações em que os pais estão hospitalizados e as crianças estão ou não ao cuidado de outros, são susceptíveis de aumentar o risco de abuso.

A campanha de prevenção e sensibilização do Programa Global de Cibercrime do UNODC para vítimas e tutores relativamente ao risco de ASB online, incluindo campanhas comunicadas através de jogos, mensagens e plataformas de redes sociais, tem como objectivo prevenir este risco cibernético.

Veja os vídeos no twitter: @CarmenCorbin_UN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *